Os benefícios psicológicos de jogar videogame - Parte 2

Se você ainda não leu a parte 1 desse artigo, volta lá e dá uma conferida.


Além dos benefícios cognitivos e motivacionais, a Dra. Isabela Granic dá destaque aos benefícios emocionais e sociais de jogar videogame.


Benefícios emocionais


Assim como os benefícios motivacionais, os benefícios emocionais estão na lista dos desafios de investigação para os pesquisadores. A sensação de bem-estar, a inspiração, o melhor gerenciamento de humor e o relaxamento estão entre os benefícios emocionais que os videogames tem proporcionado.

Unravel 2

1. Sensação de bem-estar: Diferente do que se imagina, os jogos não são utilizados com o intuito de "fugir do mundo real". Como destacado na primeira parte do artigo, a diversão é central para quem busca jogar videogame. Para a Dra. Granic, os jogos surgem como um elemento adicional na rotina que tem como principal objetivo gerar a sensação de bem-estar e auxiliar na regulação emocional.


A conectividade, a fluidez do pensamento, a melhora na tomada de decisão durante o jogo, a percepção de se desligar ou simplesmente "mergulhar no game" e o nível de concentração descrito por jogadores em pesquisas assemelha-se mais ao estado de flow, que é bem descrito pela literatura na psicologia do esporte.

Just Dance

O Flow ou estado de fluxo é um termo proposto pelo psicólogo Mihaly Csikszentmihalyi para explicar o estado mental onde corpo-mente parecem fluir em perfeita harmonia. Para Mihaly, quando alcançamos este estado não percebemos o passar do tempo por conta da imersão na atividade.


Para o psicólogo é mais fácil alcançarmos este estado quando estamos envolvidos por uma atividade que gostamos de fazer. Ou seja, uma atividade que possibilite diversão. E isso não é nenhuma novidade para um gamer, né?


Logo, o relato comum entre jogadores da sensação de mergulho no mundo do jogo parece estar mais caracterizado pelo estado de fluxo do que por uma tentativa de fuga da realidade.


Os estudos de Mihaly indicam que pessoas que costumam buscar o flow através das diferentes práticas, tais como esporte, trabalho e meditação - e aqui acrescento os games - tem aumento significativo em sua motivação, concentração e no nível de produtividade. A principal consequência tem sido uma sensação prolongada de felicidade.


Porém, gostaria de fazer um destaque.


Em crianças ainda há necessidade de entendermos até que ponto procurar jogos, por exemplo, para aliviar o estresse, pode ser positivo. Tem sido preocupação da Dra. Cheryl Olson que tem mostrado que entre as crianças com TDAH ou com sintomas depressivos é comum que a motivação de jogar seja para aliviar o estresse, enquanto que para outras crianças a principal motivação é a socialização e a diversão.


Investigações com a população adulta também são necessárias.

2. Melhor gerenciamento de humor: Empatar, vencer, perder ou tentar muitas vezes superar um desafio são experiências comuns nos jogos. Logo a vivência de emoções negativas e positivas podem surgir.


John Gottman relata, por exemplo, que os jogos de videogame podem oferecer ambientes seguros para crianças e adolescentes desenvolverem sua inteligência emocional caso exista uma boa supervisão da família. Destaca ainda que pais e mães precisariam se educar sobre a presença dos jogos em seus lares, pois da mesma forma que há famílias que atuam como excelentes educadoras para que crianças e jovens compreendam suas emoções, há aquelas que agem de forma atroz.


No caso dos adultos adeptos ao mundo dos games, encarar o misto de emoções que os jogos provocam acaba fazendo parte de cada jornada.


Afinal, os jogos oferecem enredos que proporcionam a vivência de muitas emoções.

Brothers: a tale of two sons

Em "Brothers: a tale of two sons", o jogador vivencia a história de dois jovens que buscam a cura para a grave doença de seu pai. E não para por aí. Do começo ao final, o jogador é levado a lidar com emoções que envolvem as relações familiares dos jovens, a perda e a aceitação.

Life Is Strange

Da mesma forma, em "Life Is strange", gamers enfrentam sérios dilemas morais, situações de violência e de cuidado. Toda escolha afeta a história para cada personagem, o que leva o jogador a pensar cada decisão. Refletir sobre os vínculos realizados em cada momento da história é um peso importante na balança.


The Walking Dead

Estas experiências também se estendem aos grandes títulos, tais como Read Dead Redemption, Last of Us, The Legend of Zelda e na adaptação da série The Walking Dead.


3. Diminuição da ansiedade: Jogos com interfaces simples tem apontado resultados positivos na melhora do humor e na diminuição da ansiedade.

Pacman

Tetris, Xadrez Online, Super Mário, Sonic, Pacman, Space Invaders, Super Bomberman  e Unravel são bons exemplos de jogos com interfaces simplificadas, mas que proporcionam muita diversão.


Os pesquisadores acreditam que um dos motivos pelos quais estes jogos proporcionam relaxamento está ligado justamente a sua interface. A facilidade para manter-se concentrado em elementos essenciais do jogo, além de uma quantidade de informação limitada e efeitos visuais/sonoros agradáveis parecem auxiliar no relaxamento e no controle da ansiedade.

Benefícios sociais

"Jogar videogame é coisa de quem não tem vida social e tem dificuldades para se relacionar com as pessoas". Uma afirmação falsa que infelizmente é dita por muitos profissionais da saúde. A pesquisadora Amanda Lenhart tem afirmado que os estereótipos de "nerd" e "socialmente isolamento" é um tremendo engano, e que o jogador médio desenvolve uma boa vida social. Além disso, o comportamento pró-social e a melhora nas habilidades comunicação e cooperação são benefícios comprovados.


1. Desenvolvimento de comportamento pró-social: o Dr. Douglas Gentile, da Universidade de Iowa (EUA), conduziu um estudo demonstrando que os jogadores generalizam comportamentos de ajuda para as suas relações dentro do contexto familiar, escolar e comunitário.

Tom Clancy's: The Division

Estudos indicam que este é um comportamento evidenciado tanto em jogos violentos como nos jogos não-violentos que exigem cooperação entre os participantes. Como visto nos outros benefícios, há uma generalização dos comportamentos de ajuda nos jogos para os diversos ambientes sociais.


O desenvolvimento dessa habilidade pode auxiliar na na capacidade de organizar grupos visando causas sociais, arrecadar dinheiro para caridade e participar de eventos comunitários.

Fornite

2. Melhora nas habilidades de comunicação e cooperação: Atualmente os designers tem valorizado as habilidades de comunicação e cooperação. Em jogos online, é exigido tomada de decisão rápida sobre confiança e liderança, por exemplo. O jogador é levado a escolher em quem confiar e a avaliar o estilo de liderança dos outros jogadores durante uma partida.


Além disso, a presença de sistemas de recompensa para cooperação afetiva e de apoio nos jogos tem sido mais comuns, além de existir punições para comportamentos antissociais. Em suma, quanto maior a cooperação, maior a possibilidade de receber incentivo nos jogos através de pontuação ou presentes.


Dessa forma, cada jogador é levado a avaliar sua própria capacidade de comunicação, aprender com os outros jogadores e a respeitar as diferentes formas de interação entre os jogadores.

Mas olha só, vale lembrar que todos os benefícios apontados pela ciência são apenas possibilidades para o desenvolvimento dos aspectos motivacionais, cognitivos, emocionais e sociais.


Por isso, antes de encerrar, destaco algumas dicas são importantes:


Para a família: É preciso estabelecer uma boa comunicação com seus filhos. A forma de educar sobre as emoções e estabelecer momentos para diversão com o videogame é fundamental para que crianças e adolescentes vivenciem boas experiências com jogos. Tenha interesse por saber o que seus filhos jogam (história, personagens e objetivos) e incentive outras atividades como leitura e esportes.


Para adolescentes: Por mais divertido que os jogos sejam, é importante estabelecer quais são seus horários para se divertir. Horas prolongadas são desgastantes e podem afetar de forma negativa sua saúde. Caso sinta-se mal em algum jogo, não tenha vergonha de conversa com sua família e amigos de confiança.


Para adultos gamers: Estabeleça dias e horários que se adequem à sua rotina. Identifique os tipos de jogos que costumam lhe causa bem-estar. Experimente outros jogos do gênero. Se considerar que o videogame tem afetado seu sono ou atrapalhado no trabalho, procure orientação profissional.

E aí, curtiu? Conta pra mim: Quais são seus jogos favoritos e como você acredita que os games tem lhe beneficiado?


Aproveita e me segue lá no @psicologiadoatleta no instagram.

7 visualizações

©2020 por Psicologia do Atleta - Matheus Vasconcelos