Como cuidar da sua preparação mental no retorno aos treinos?

Este texto tem como base a palestra realizada durante o protocolo de retorno aos treinos do GRUA Rugby.


A pandemia do COVID-19 trouxe um cenário de incertezas ao longo do ano de 2020 e grande parte da população tem vivenciado pela primeira vez os efeitos de um distanciamento social prolongado.


Para atletas, sejam profissionais ou amadores, afastar-se do esporte por um período tão prolongado requer cuidados com a preparação e com a saúde mental.


Por este motivo, apontarei algumas dicas esportes para que você atleta, treinador ou praticante de algum exercício físico tenha os cuidados necessários durante esse retorno. 


1. Aceite e valide os sentimentos que tem vivenciado durante a pandemia


É um erro comum acreditar que ignorar sentimentos seja a melhor escolha para superá-los.


São como pensamentos que quanto mais tentamos evitá-los, mais eles surgem.


Por este motivo, é importante que neste momento você aceite e dê valor aos sentimentos que vivenciou e ainda tem vivenciado ao longo da pandemia. O psicólogo americano Carl Rogers costumava afirmar que a aceitação é o primeiro passo em direção ao crescimento.


2. Não se isole e mantenha uma boa comunicação com a sua equipe


É normal que após um período prolongado de distanciamento a comunicação entre a equipe seja afetada. Além disso, pode ocorrer de alguns atletas manterem-se mais afastados e evitando muita conversa.


No atual momento que estamos vivendo, este isolamento também pode ser ocasionado até pelo medo da contaminação entre alguns atletas, afinal, ainda estamos vivenciando um momento crítico da pandemia em muitas regiões do país.


Por este motivo, mesmo que esteja sentindo medo ou que não esteja à vontade de interagir com outras pessoas na equipe, procure conversar com alguém da sua confiança e trace pequenas metas para melhorar a comunicação ao longo do tempo.


3. Exercite sua resiliência: O momento é de readaptação


Isso mesmo! Exercite a sua resiliência. Ela não é uma característica inata nas pessoas. Com o tempo temos aprendido a ser resilientes conforme damos significados para as experiências ao longo da vida.


O primeiro passo é você compreender que este momento é de readaptação. Afinal, você ficou muitos meses sem treinar, não é mesmo?


Utilize esse momento para se adaptar gradualmente aos treinos, recuperar gestos técnicos, melhorar o condicionamento físico e para estabelecer novas metas pessoais de rendimento. Se durante este período seus momentos para treino em casa foram limitados, não acredite que retornará às atividades com o mesmo nível de rendimento de 5 meses atrás.


Contorne os desafios e dificuldades um a um e potencialize sua adaptação.


4. Procure estimular sua criatividade


Eu recomendo que assistam os vídeos da série criatividade lá no Instagram também.


Talvez muitas pessoas ao longo desse período tenha encontrado dificuldades para estimular sua criatividade. Especialmente ações criatividades direcionadas ao contexto esportivo.


Vale ressaltar que não considero criatividade como "fazer algo inédito" e "super inovador". Me refiro ao exercício de "pensar fora da caixinha" para solucionar problemas ou melhorar sua performance.


Três exercícios poderão ajudar a sua criatividade durante este momento de retorno: 1. O uso de um diário para registrar as atividades do retorno; 2. Olhar mais para si; 3. Passar a compreender vitória/derrota sempre como oportunidade de aprendizagem.


Além disso, é importante ensinar a sua mente sempre a pensar em "como" ao invés dos "porquês" ao longo dos treinamentos.


"Como posso melhorar tal movimento?"


"Como posso liderar melhor minha equipe?"


5. Sinta seu corpo e suas necessidades durante o retorno


É muito importante sentir o que seu corpo está dizendo e respeitá-lo durante esse retorno.


Não sou especialista em preparação física, tampouco tecerei recomendações aqui, porém considero importante que você tenha atenção com os sinais que o corpo dará sobre seu condicionamento.


Além disso, é importante conversar com seu treinador e/ou preparador físico sobre suas reais condições durante esse momento inicial do retorno.


6. Avalie como está sua confiança


Em alguns casos é comum que as pessoas percam sua autoconfiança após um período prolongado sem treinamento.


Por outro lado, tenho tido experiências com atletas que retornaram mais confiantes do que estavam antes da paralisação.


Logo, questione-se o quanto está confiante durante esse retorno. Porém, considero importante ter muito cuidado com os extremos da confiança: O excesso ou a falta da confiança.


Se você está se sentindo pouco confiante, tente pensar em uma escala: Entre 0% e 100%, o quanto está confiante no momento? 25%? O que você pode fazer para aumentar gradualmente esta confiança para 26% e depois 27% e 30%?


Já em relação ao excesso de confiança, dê sempre um passo atrás antes de tomar uma decisão. Muitas decisões ruins são tomadas por confiança excessiva.


7. Coloque em prática sua preparação mental


Esse é o momento de cuidar muito bem da sua preparação mental.


Considero toda preparação mental como um processo diário. Não acredito em fórmulas mágicas de preparação. Nada substituiu um bom acompanhamento e a dedicação aos treinamentos mentais ao longo de uma temporada.


Há três pontos que considero fundamentais para você começar a pensar sua preparação mental:


O primeiro deles diz respeito a necessidade de você compreender melhor suas emoções. Não minimize o que você sente durante o jogo. Tenho percebido que o aprendizado de qualquer técnica de preparação mental depende do quanto o atleta está disposto a olhar de outra forma para as suas emoções. 


O segundo está em não evitar toda emoção negativa. Costumo dizer que é com elas que temos o maior potencial de aprendizado. Afinal, se são elas que nos incomodam, precisamos encontrar maneiras de lidar melhor com estas emoções. 


O terceiro está relacionado com a forma que você encara sua preparação mental. O aspecto psicológico no esporte deve ser encarado como uma parte do treinamento. Se você está utilizando técnicas de imaginação, técnicas de respiração ou qualquer outra, crie uma rotina para treiná-las.


8. Construa e mantenha sua rotina


Aos poucos vá construindo sua nova rotina. Não se cobre tanto neste recomeço. Procure manter assiduidade nos treinos. Mesmo que você não tenha condições de treinar por alguma lesão ou algo similar, tente se mostrar presente para a equipe. 


Na construção dessa rotina é importante você ter atenção com a sua alimentação, seu sono, momentos de descanso e com o respeito aos horário de treino.


Modifique aspectos necessários nessa rotina gradualmente para não sentir-se tão pressionado por mudanças. 


Por fim...


9. Foque no momento presente


Não fique preso aos pensamentos sobre como teria sido seu ano e treinamentos caso não tivesse ficado em distanciamento social.


Também não fique tão preocupado sobre como será daqui algumas semanas ou meses.


Minha sugestão é que você se pergunte a cada dia e semana: "O que eu posso fazer para dar meu melhor hoje?".


-

E aí, gostou das sugestões? Comenta o que achou ou corre lá no Instagram para conversarmos sobre o retorno.

©2020 por Psicologia do Atleta - Matheus Vasconcelos